TRÁFICO INTERNACIONAL DE MULHERES PARA FINS DE PROSTITUIÇÃO: O NOVO PRODUTO DO CRIME ORGANIZADO

TRÁFICO INTERNACIONAL DE MULHERES PARA FINS DE PROSTITUIÇÃO: O NOVO PRODUTO DO CRIME ORGANIZADO

Diego Augusto Bayer, Cidânia Aparecida Locatelli

Resumen

O presente artigo tem como objetivo principal analisar o trafico internacional de mulheres, sob uma perspectiva histórica e conceitual, analisando a prática do tráfico para os fins de prostituição como novo produto do crime organizado. Primeiramente, este artigo busca fazer uma breve analise do tráfico de mulheres, buscando demonstrar que esta prática voltada a prostituição há muito tempo está presente dentro da sociedade, ganhando formas modernas e sendo realizado em maiores proporções no século XX e XXI. Em um segundo momento se analisará a inserção do tráfico internacional de mulheres para o fim de prostituição dentro do crime organizado e sua utilização como novo produto para obtenção de lucro.

Palabras clave

Tráfico internacional de mulheres. Prostituição. Crime organizado.

Texto completo:

PDF

Referencias

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Tradução de Mauro Gama e Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. BECK, Ulrich; GIDDENS, Antony; LASH, Scott. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 1997. BRASIL. MERCOSUL e as Migrações: Os movimentos nas fronteiras e a construção de políticas públicas regionais de integração. Brasília: Ministério do Trabalho, 2008. BRASIL. Lei nº 12.850 de 02 de agosto de 2013. Disponível em: . Acesso em 22 out. 2013. DE JESUS, Damásio Evangelista. Tráfico Internacional de Mulheres e Crianças: Brasil: aspectos regionais e nacionais. São Paulo: Saraiva, 2003. DE SOUZA, Tania Teixeira Laky. Tráfico internacional de mulheres: Nova face de uma velha escravidão. Tese de doutoramento em serviço social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), 2012. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2013. DIAS FILHO, Antônio Jonas. O Tráfico Internacional de Mulheres. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2013. DOEZEMA, Jo. Loose Women or Lost Women? - The re-emergence of the myth of ‘white slavery’. In: contemporary discourses of ‘trafficking in women’. International Studies Convention

Washington, DC, February 16 - 20, 1999 .Gender Issues, Vol. 18, no. 1, Winter. Washington, DC, 2000, pp. 23-50, apud DE SOUZA, Tania Teixeira Laky. Tráfico internacional de mulheres: Nova face de uma velha escravidão. Tese de doutoramento em serviço social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), 2012. FIANDACA, Giovanni; COSTANTINO, Salvatore. Introduzione a La máfia, le mafie tra vecchi e movi paradigmi, Roma-Bari, Laterza, pp. V-XVI, (1994b). GOLDMAN, Emma. Tráfico de Mulheres. trad. Mariza Corrêa, The Traffick in Women,2011. In: Cadernos Pagu (37), julho-dezembro de 2011. GOMES, Luiz Flávio. Definição de crime organizado e a Convenção de Palermo, 2009. Disponível em: http://www.lfg.com.br. Acesso em: 29 out. 2013. HABERMAS, Jürgen. O discurso filosófico da modernidade. Tradução de Ana Maria Bernardo et al. Lisboa: Dom Quixote, 1990. HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Tradução Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. 17 ed. São Paulo: Loyola, 2008. IOM (International Organization of Migration). World Migration. Disponível em: . Acesso em 22 set. 2013. LAZO, Gemma Nicolás. Migraciones femeninas y trabajo sexual: Concepción de trabajo precario vs. ―tráfico de mujeres, p. 229-260. In: BEGALLI, Roberto (coord.). Flujos migratorios y su (des)control. Puntos de vista pluridisciplinarios. Barcelona: Anthropos, 2006. LEAL, Maria Lúcia; LEAL Maria de Fátima. Pesquisa sobre tráfico de mulheres, crianças e adolescentes para fins de exploração sexual comercial no Brasil. Pestraf. Disponível em: . Acesso em 23 out. 2013. LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. 9.ed. Tradução de Ricardo Corrêa Barbosa. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006. MONTALVO, José Antonio Choclán, La Organización Criminal, Madrid: Dykinson, 2000. NASCIMENTO, Telma; RIBEIRO, Paulo; MATOS, Luciana. “Violência e Relações Internacionais: As Dimensões da Violência e o Crime Organizado na América Latina – Uma Proposta de Estudo” In: Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 18, n. 1/2, p. 19-34, jan./fev. 2008. OIT. Informe da Organização Internacional do Trabalho, 1996. ONU. Trafficking in Persons to Europe for Sexual Exploitation, 2010. PEIXOTO, Maria Angélica; NASCIMENTO, Telma Ferreira. O tráfico internacional de mulheres, 2010, p.120-126. In: Revista Espaço

Acadêmico, nº 108, Maio de 2010. Disponível em: http:// periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/ view/9823/0. Acesso em: 29 set. 2013. RIBEIRO, Ana Maria Motta. Sociologia do narcotráfico na América Latina e a questão camponesa In: RIBEIRO, A. M. M.; IULIANELLI, J. A. S. (Org.). Narcotráfico e violência no campo. Rio de Janeiro: DP & A, 2000. p. 23-59. SEITENFUS, Ricardo. Relações internacionais. Barueri: Manole, 2004. SILVA FRANCO, Alberto; NUCCI, Guilherme de Souza. Doutrinas Essenciais Direito Penal, Vol. VII. São Paulo, RT, 2010. TOURAINE, Alain Touraine. Crítica da modernidade. 7.ed. Tradução de Elia Ferreira Edel. Rio de Janeiro: Vozes, 2002. UNODC. Toolkit to combat trafficking in persons: global programme against trafficking in human beings. Viena: UNODC, 2006.

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.