A ORIGEM DAS PENAS E DAS PRISÕES E A MAXIMIZAÇÃO DO DIREITO PENAL COMO FORMA DE REPRESSÃO DO DELINQUENTE

A ORIGEM DAS PENAS E DAS PRISÕES E A MAXIMIZAÇÃO DO DIREITO PENAL COMO FORMA DE REPRESSÃO DO DELINQUENTE

Diego Augusto Bayer, Cidânia Aparecida Locatelli

Resumen

Este artigo teve como objetivo relatar em primeiro plano, em comparação com a obra Vigiar e Punir de Michel Foucault, a origem das penas e a derivação das teorias e a contraposição de Foucault, para após, expor sobre um retrospecto histórico do surgimento das prisões e da pena privativa de liberdade. Ao final, procurou-se demonstrar que utiliza-se da maximização das normas penais para tentar repreender o delinquente, utilizando-se das penas e das prisões como modo de desvirtuar o seu caráter ressocializador. A pesquisa exploratória e bibliográfica fez com que fosse possível expor uma relação entre a visão de Foucault e outros doutrinadores, trazendo os pontos principais de cada pensamento.

Palabras clave

Penas. Teorias das penas. Surgimento das prisões. Etiquetamento. Desvirtuamento do caráter ressocializados da pena.

Texto completo:

PDF

Referencias

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANDRADE, Vera Regina Pereira de. Sistema penal máximo x cidadania mínima: códigos da violência na era da globalização. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2003. BARATTA, Alessandro. Criminologia crítica e crítica do direito penal: introdução à sociologia do direito penal. 3.ed. – Rio de Janeiro: Editora Revan: Instituto Carioca de criminologia, 2002. BATISTA, Nilo. Mídia e sistema penal no capitalismo tardio. In: Discursos Sediciosos – crime, direito e sociedade, ano 7, nº 12, Rio de Janeiro, Revan/Instituto Carioca de Criminologia, 2º semestre de 2002, p. 271 – 288. BAUMAN. Zygmunt. Medo Líquido. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008. BECCARIA, Cesare. Dos Delitos e das Penas. Tradução de Torrieri Guimarães. São Paulo: Hemus, 1993. BITENCOURT, Cezar Roberto. Falência da pena de prisão: causas e alternativas. 3. Ed. São Paulo: Saraiva, 2004. BOURDIEU, Pierre. Sobre a televisão: A influência do jornalismo e os jogos olímpicos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997. CARVALHO, Salo. Pena e garantias. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2003. CASTRO, Lola Anyar de. Criminologia da reação social. Rio de Janeiro: Ed. Forense, 1983.

CHOMSKY, Noam. O lucro ou as pessoas? Neoliberalismo e ordem Global. Trad. Pedro Jorgensen Jr. 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. DOTTI, René Ariel. Curso de Direito Penal: parte geral. Rio de Janeiro: Forense, 2001. FALCONI, Romeu. Sistema prisional: reinserção social?. São Paulo: Ícone, 1998. FONSECA, Márcio Alves da. Michel Foucault e o direito. São Paulo: Max Limonad, 2002. FOUCAULT, Michel. “Des supplices aux cellules”, Dits et écrits. Paris: Gallimard, 1994. v. 2. FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999. FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Tradução de Lígia M. Ponde Vassalo. Petrópolis, Vozes, 1987. MORETZSOHN, Sylvia. Imprensa e criminologia – o papel do jornalismo nas politicas de exclusão social. Disponível em http://www.bocc.ubi. pt/pag/moretzsohn-sylvia-imprensa-criminologia.pdf. Acesso em 13 ago. 2012. NORONHA, Edgard Magalhães. Direito Penal, Vol. 1. São Paulo: Saraiva, 1997. SEDREZ, Marilise. A privatização das penitenciárias. 2008. 119 f.. Monografia (Superior) – Curso de Direito, Departamento do Centro de Ciências Jurídicas e Sociais, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2012. YOUNG, Jock. A sociedade Excludente – Exclusão Social, criminalidade e diferença na modernidade recente. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Revan – Instituto Carioca de Criminologia, 2002. ZAFFARONI, Eugenio Raúl, PIERANGELI, José Henrique. Manual de Direito Penal Brasileiro: parte geral. São Paulo: Editora RT, 1997. ZAFFARONI, Eugenio Raúl. Em busca das penas perdidas: a perda de legitimidade do sistema penal. Tradução de Vânia romano Pedrosa e Amir Lopes da Conceição. Rio de Janeiro: Revan, 1991.

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.